Fim da guerra

Os gritos continuam ecoando todas as noites.

Sempre que fecha os olhos pode ver a dor e o sangue.

O barulho do desespero, o cheiro de corpos queimados.

E o que mais o incomoda são os gritos desesperados.

Acorda antes do sol, o suor gelado cobre a pele.

Ouve tiros, sempre mais perto, quando será a sua vez?

Os gritos sessaram? É sempre temporário, logo vem uma explosão e o pesadelo se mostra real novamente.

Correr não adianta, não existe nenhuma saída.

Nada pode salva-lo, não importa o quando ele reze.

Já faz tanto tempo que nem quer mais se importar.

Talvez se acabar logo seria melhor, rever os seus filhos, estar com eles novamente. Queria acreditar nisso.

Sentou-se na cadeira, a sala está vazia. Ele não queria essa guerra, nem sabe quais os motivos.

Espera, aguarda, logo será sua vez, lagrimas escorrem dos olhos e a terra treme levemente.

Aqueles homens armados entram, já eram esperados. Seus gritos já são conhecidos e o cheiro de pólvora que traziam era terrivelmente nostálgico.

Ele sorri, lagrimas escorrem. Eles gritam, ele continua sentado.

Eles são anjos, e também são inocentes, eles não queriam essa guerra, então que ela acabe para pelo menos um lado. Fechou os olhos. Ouviu um grito. Ouve um disparo, uma dor em seu peito traz paz em seu coração.

Já consegue ver os seus filhos e sentir o calor dos seus abraços. Não há mais nenhum barulho, nenhum cheiro, nenhuma dor. A guerra terminou, pelo menos de um lado.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s