Falho desapego

Como falar sem palavras para alguém que não pode escutar?
Existir como uma luz que avança e anseia por estar com a sombra que se afasta e então domar os seus instintos e pinta-los de frios sentimentos.
Essa tinta irá derreter e não poderei mais me negar. Se você aguardar eu acharei um caminho entre o céu e o mar, mas até lá eu apenas clamo que aguarde, me dê tempo para guardar.

Vacilando a cada passo, não sou rápido o bastante, me pego pensando e cochichando seu nome enquanto respiro. Meus lábios já estão congelados e minha boca tal como uma caverna ecoa meus sonhos há muito tempo perdidos ou seriam os seus?

Pare de agir como conselheiro cruel, já tenho em mim todo o olhar de reprovação, entendo e não concordo, mesmo assim eu me permito evacuar junto ao rubro liquido que me esvazia deixando a mente se apagar, mas nunca completamente, por hora irei falhar.

Já me acostumei com seu sorriso, estes que não são voltados a minha pessoa, então eu reforço a promessa, largando as lembranças ao bel-prazer dos ventos. Mas não totalmente, não ainda.

 

É como num precipício muito fundo, caindo quase que eternamente, cada segundo uma hora de eternidade em busca de um fim para o desejo, um instante apenas que é necessário para olhar para cima e enxergar a silhueta bem conhecida, um único gesto e estou no topo, sendo assim eu falhei de novo, então me perdoe, da próxima vez irei me esforçar.  

Advertisements