Esperança Fiel

Praticamente cego. Além da escuridão enxergo apenas centímetros afrente do meu próprio nariz. A única luz é como uma estrela entrando por uma fresta na parede, longe de mais para se alcançar e próxima de mais para deixar minha esperança esvanecer. Essa é minha a minha desgraça, tijolos de concreto formam minha casa e minha mente se transforma em minha prisão. Abandonado e solitário, sem comida e já quase sem vida, mal sinto minhas pernas, minhas vestes além da própria pele são apenas minha barba e meu cabelo, estou tão velho, estou cansado, não quero poder aguentar mais.

Não sei ao certo, mas chama minha atenção, o cheiro, os ruídos, mal posso me conter, cavar desesperadamente para pode alcançar, não sei o que é, mas preciso saber.

Quando chove a água brota, ela é suja e pouco revigorante, onde estão os guardas? Há quantos dias eles se foram? A quantos dias aqui estou? Vi minha estrela se apagar e acender dezenas de vezes, centenas de dezenas de vezes. Quantas dessas vezes foram sonhos e quantas não foram?

Cavar, cavar, cavar. Não enxergo nada. Não tem problema, sinto o cheiro.

E assim se vai mais um dente, mais de uma dezena quando parei de contar, meu corpo dói ao respirar, por que ainda estou vivo? Este cativeiro que tortura minha alma e faz do meu corpo um flagelo, não desejo resistir mais. Imploro a Deus, Imploro para os guardas que assim como Deus eu não sei se aqui estão. Sinto o gosto das minhas lagrimas e a dor no meu peito, não há consolo para um pobre diabo como sou.

Consegui passar, está tão perto, o cheio está forte, mas ainda é pequeno, tenho que cavar mais, continuar cavando, não importa por quanto tempo, tenho que continuar.

Escuto algo, o que será? Minha imaginação me torturando com esperança e sonhos? Imagino que seja. A fome e a sede me carregam a passo lento em direção à liberdade. Sofrida e dolorida liberdade. Entrego-me a dama de negro completamente, me leve daqui com seu doce beijo, não me deixe sofre mais. Sinto seu toque gelado tocar minha mão.

Encontrei!

Ela é fria e quente, áspera e macia. Sinto ela lavar minhas mãos e minha face, seu cheiro é úmido e lamacento, suas vestes tão macias quanto seus cabelos, então eu a abraço e deixo que me carregue.

Consegui, consegui pega-lo, agora eu posso voltar, ele é tão leve, tão fácil de puxar, isso me anima muito, é só sair por onde entrei.

Sou arrastado por uma passagem, tudo tão escuro, úmido e macio, ela me puxa com força, e eu a deixo fazer o que quiser.

Agora só mais um pouco, estamos quase lá.

Estou delirando? Sinto o cheiro de ar fresco após um movimento brusco eu sinto o próprio vento me acariciar. Tenho medo de abrir os olhos e ver mais escuridão. Minha dama salvadora grita palavras que não compreendo e limpa minha face. A luz é tão forte, estou ofuscado, a vejo na minha frente, primeiro um borrão escuro, vejo seus cabelos negros surgirem lentamente na minha frente, seus olhos amarelos e sinceros, ela está tão imunda quanto eu e seu rabo abana de felicidade, um anjo negro coberto de pelos. Jamais vou entender o que a fez vir me resgatar, e jamais vou saber a natureza de todo esse amor que ela sentiu por mim dês desse dia até o ultimo dia de nossas vidas.

Advertisements

2 thoughts on “Esperança Fiel

  1. Foi o melhor dos ultimos três. Acho que vou ficar feliz porque entendi que era um cachorro. (pode dar spoiler no comentário? Dizer que era um cachorro é spoiler?)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s